Minha meta de leitura para o ano + indicações de livros

2018 01 31 11.37.55 1 - Minha meta de leitura para o ano + indicações de livros
Por Luana Protazio

Eu sou a louca dos livros desde pequena. Talvez por ser filha única e meus pais trabalharem o dia todo, me aproximei da literatura bem cedo. Estava sempre na biblioteca municipal da cidade e passava horas no sebo próximo ao trabalho da minha mãe, ainda que no começo não terminasse nada que começava, eu lia de tudo. Após finalizar meu primeiro livro de literatura, aos 12 anos, nunca mais parei. Amava os suspenses de Harlan Coben, os romances dramáticos, os infantis em inglês para treinar minha compreensão – mas nas minhas tardes em sebos eu lia qualquer coisa que a capa me chamasse atenção, haahahaha.

Só bem recentemente tive contato com a literatura preta e os estudos em relações raciais, percebi que nos últimos anos direcionei maior atenção aos estudos e à vida acadêmica e não consegui ler tanta literatura só pelo simples prazer de ler, como fazia quando mais jovem.

Portanto, uma das minhas metas para este ano é ler mais pelo simples prazer da leitura.

Para isso, criei uma periodicidade de tentar ler 1 livro por quinzena, ou seja, dois livros por mês. Comecei recentemente com o livro “O espírito da Intimidade”, de Sobonfu Somé. Um livro muito comentado por mulheres pretas maravilhosas num evento que participei recentemente em Feira de Santana – BA.  

Tenho anotado os livros que desejos ler e os avanços da meta na minha Estante Virtual do Skoob. Alguns títulos são:

Nós temos uma vasta gama de autoras e autores pretos em toda a diáspora para consumir, porém, temos pouco contato com essas obras no decorrer do nosso aprendizado de leitura. Essas obras são diversas! abordam histórias, problemas sociais, tecnologias, afeto, fatos, são representações complexas que nos trazem algo que sempre estou falando por aqui: são narrativas que humanizam, independente do gênero, e isto é muito importante.

Há também, claro, o fator intelectual. Ler é absorver conhecimento e absorver conhecimento é uma ferramenta poderosa de transformação da realidade de pessoas negras.

Das minhas leituras do último ano sem finalidade de todo acadêmica, destaco quatro como dignas de indicações de ouro: A Cor Purpura, da escritora Alice Walker; Negritude: Usos e Sentidos, do antropólogo e professor Kabengele Munanga; O genocídio do negro brasileiro: processo de um racismo mascarado, uma leitura incrível para entender os processos de racismo institucional e estrutural do racismo em suas diversas fases, no Brasil, por Abdias do Nascimento; e Quarto de Despejo – Diário de Uma Favelada, da escritora Carolina Maria de Jesus. Inclusive, este último entrou para a lista de leituras obrigatórias dos vestibulares da Unicamp e da UFRGS em 2017.

Com tuuuuudo isso em mente, pedi no twitter indicações de livros para as leitoras da Elogie e aproveitei para atualizar minha listinha de ‘Quero ler’ no Skoob!. A pergunta foi “Se pudesse indicar apenas um livro de autora negra para outra preta ler em 2018, qual seria sua escolha?”. A escolha por autoras negras foi pensando na articulação de gênero e raça a qual me proponho aqui no site. As indicações são pessoais e variam entre atuais, atemporais, estórias, poesias e até acadêmicos.

Já anota tudo na sua listinha também:

autoras negras livros para ler em 2018“Voltar para casa” Toni Morrison 

“Ela foi a primeira escritora mulher e a primeira pessoa negra a ganhar o prêmio Pulitzer com esse livro, que fala sobre os traumas dos soldados negros no pré e pós SGM. Livrão sensacional”

@keytymeideiros

 

 

autoras negras livros para ler em 2018“Canções de Amor e Dengo” Cidinha da Silva
“é de poesia, bem curtinho e muito sincero. dá muita vontade de amar” @maarooly

Como não colocar na lista um livro de poesia, escrito por uma mulher preta, cuja descrição diz que “dá muita vontade de amar”? ô gente <3

 

 

autoras negras livros para ler em 2018“Black sexual politics”, Patrícia Hill Collins
“ela fala da construção da sexualidade negra por uma perspectiva completamente racializada e sem esquecer a influência da heterossexualidade compulsória. Ou seja, ela tem uma visão macro de tudo e detalha o micro.” @solemgemeos

Inclusive, a Carol Correia tem feito um trabalho incrível na tradução de obras da bell hooks e outras feministas negras no seu perfil do medium. Você pode acessar aqui. (link)

 

autoras negras livros para ler em 2018“Olhos d’água”, Conceição Evaristo.

“Ela é uma escritora brasileira e nesse livro de contos ela retrata pessoas negras, principalmente mulheres, numa perspectiva muito real e sensível. É simplesmente lindo.”

@bl4ckpowerr

 

 

autoras negras livros para ler em 2018“salt”, nayyirah waheed.

“Várias coisas que eu sinto como mulher negra e achava que eram só minhas estão presentes nos poemas dela (além de outras coisas que sabia que compartilho com minhas irmãs). Reforçou meu senso de pertencimento e auto amor como preta 💕”

@itsz

 

 

autoras negras livros para ler em 2018“Um defeito de cor”, Ana Maria Gonçalves

“eu indicaria pq é um livro rico em detalhes sobre a África, além de uma história maravilhosa, personagens incríveis e aborda sobre assuntos como a escravidão e as revoltas de uma forma sincera.”

@sputnikk_

 

 

autoras negras livros para ler em 2018“O que é lugar de fala?”, Djamila Ribeiro

Quem indicou foi Taís Oliveira, @tais_so “gente que confio, gosto e admiro”.. por isso acredito na indicação. Além disso, a autora, Djamila Ribeiro, é uma importante voz e referência contemporânea na luta das mulheres negras.

 

 

 

O tweet com todas as indicações está no meu perfil pessoal (@luanaprotazio). E agora eu quero saber de você, quais livros você indicaria para outra preta ler em 2018 e por que? Conta pra gente nos comentários e vamos que vamos nesse embalo, pretas.

 

AH, tá rolando sorteio de uma camiseta Heroínas Negras + o livro “Mulheres, Raça e Classe” de Angela Davis na página Elogie uma irmã negra! Corre no link [sorteio] e participe! O resultado sai na sexta-feira, 02. fevereiro.

Deixe uma resposta