Sobre

Sobre

16062016-IMG_2819Luana Protazio, 20 anos, estudante de Relações Públicas. Me descobri como mulher de luta no Movimento Hip Hop da cidade, meu primeiro contato com a militância e com pessoas que me motivaram a lutar por melhorias em nossas condições. No hip hop também aprendi o sentido e força de se estar em coletivo, em se apoiar no outro quando necessário e construir outras realidades a partir do que acreditamos. Foi nessa cultura também que conheci o feminismo e a luta negra, aos poucos fui entendendo a subjetividade de ser mulher e negra e a necessidade de interseccionar minha luta. A elogie uma irmã negra surgiu da minha vivência conflituosa com minha autoestima até então, e a necessidade de conhecer minha história. É para mim um espaço muito pessoal, que compartilho por acreditar na irmandade, no crescimento coletivo. Esse espaço me permite fazer a manutenção da mulher que me tornei e me orgulho, essa mulher que admite ainda estar em aprendizado diário, ainda pouca coisa sabe dos que vieram antes dela, e ainda tem receio de falar em público, mas se esforça em querer saber, entender, estudar, buscar crescer e ao mesmo tempo voltar as raízes que lhe foram negadas.

A Elogie uma Irmã Negra é isso, um espaço em desenvolvimento de uma mulher negra em desenvolvimento. Propõe que façamos por nós a construção, desenvolvimento e manutenção da nossa autoestima estética e intelectual, nos fortalecendo em espaços de debates, estendendo a mão à irmãs conhecidas e desconhecidas, nos saudando em espaços nos quais somos minorias, nos compreendendo, solidarizando, sorrindo, encantando, e elogiando. Como a empatia é se colocar no lugar do outro, é essencial que conheçamos nossa história e quem lutou antes de nós e por nós, assim o conhecimento se torna outro pilar, buscaremos juntas nossas raízes, ancestralidade e identidade. Cresceremos juntas porque a mudança se dá através do coletivo.